5 de setembro de 2013

É preciso desapegar do que não lhe rendeu mais histórias.

Quando a chuva aumentou, sai do quarto a cozinha de meias ao chão e sem pensar em nada fui ao jardim e gritei. Tomei aqueles pingos de chuva e jurei: vou parar de pensar. Tarde foi quando lembrei: jurar é vão.


A gente é pior que bicho, deixa ir o que faz bem, por ciumes perde felicidade, e alguns por noites machucam outros. É tanto egoísmo que amar em silencio é só mais um. Será que um dia iremos aprender a cultivar? Largar a mão de tudo e deixar a felicidade sem lógica ou frases previsíveis de proteção? Só quero estar de olhos bem abertos pra sentir, porque é preciso amar mais e pensar menos. É essencial.

2 comentários:

  1. Parabéns Natália pelo blog. Gostei e você tem uma escrita gostosa e profunda. Nada é superficial. Muito bom.
    Confirmo a reunião da Academia de Letras no sábado às 16h. Um pouco antes faremos uma reunião mais fechada para tratar da questão da academia jovem.

    ResponderExcluir