23 de setembro de 2012

breve memória do cifrão.

A garganta rasgou por conta da lagrima inalada,
o desespero entrou sem bater na entrada.
Festejou a perda das estribeiras
e em uma respiração estreita,
lembrou de quando desligou o sistema;

Pro gran finale um tiro no braço,
esqueceu de tirar o coração do frasco.
Não amou quando quis,
mas foi amado, salvado por um tris.

Pro segundo fim, uma segunda morte
mas dessa vez o diabo não brincou de trote,
e levou o filhote.

2 comentários:

  1. Tudo acontece assim, meio que de repente...

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Relato forte, porém muito bonito. Aliás, o layout do blog também está muito lindo.
    Um beijo, @pequenatiss.

    ResponderExcluir