29 de maio de 2011

Forasteira.

Hoje o dia foi envolto de arrepios,
não de amor,
não de frio,
talvez de almas vagantes vindas de uma obscuridade maior da que a do seu coração. "Isso é possivel?" Se perguntava repetidamente. A resposta talvez seja tão obscura quanto.

Vázia de tudo , cansada de lágrimas sustentadas pelo peso da mentira carregada nos lábios forçados, ela fechou sua cota de sorrisos, e não há nada que a faça sorrir.
Se feriu ao saber que ele mentiu e depois passou a mentir e a ferir corações também. Gostava de caçar e não sentir nada, gostava de se sentir como ele, queria ser exatamente igual, porém, ela não tinha a crueldade no sangue,  e de tanto ferir, se sentiu culpada finalizando seu ciclo sem nada, sem ferir, sem ser ferida, só com a solidão que se habitou ao seus pés, tendo ela que carrega-la dia e noite, pelo resto de sua vida.

E apesar de tudo, ela ainda estava a caminhar olhando os semáforos, observando a cor dos panfletos dados por um cara louco dizendo que o mundo acabava naquele dia e por algum impulso desconhecido, ela pegou com uma cara de "era tudo o que eu mais queria" e seguiu sua rota. Trabalhou, bebeu seu cotidiano três litros de café, fumou seus dois maços e meio de cigarros e gastou suas moedas num almoço que nem fazia questão de comer. Para tudo isso passar despercebido, pois a unica coisa que ela realmente tinha em mente era fazer suas malas e seguir rumo ao nada -ou ao fim.

Talvez por se fazer tantas perguntas ficou cada dia mais enlouquecida, como uma de suas frases mesmo dizia "depois que você começa a decifrar o mistério o mesmo fica sem graça". Nathalie, morreu num ataque de esquizofrenia numa estrada de atalho rumo ao leste da frança, quando se jogou a frente de um carro.

Anos e anos devorando o nada, dias e dias se acostumando ao monótono, vidas e vidas tendo como resposta, a loucura.

3 comentários:

  1. Ai, que triste! Espero que você não chegue a tomar esse tipo de decisão louca, hein? hahaha

    Um beijo :*

    ResponderExcluir
  2. Gostei, achei muito bom e tenho que concordar com ""depois que você começa a decifrar o mistério o mesmo fica sem graça" tem um pouco de verdade.

    ResponderExcluir