19 de janeiro de 2011

Barulho do copo a mesa.

Um bar que inspira
Um beijo que fala
A sós , a dois

so
   zi
     nhos

O remorso que cala
A dor que grita
A eternidade que mata

                  a
             dor
       me
    ci
do

Ao Janeiro que faz
Ao Fevereiro que estraga
Ao jazz que inspira
Amor já não mais doido

Men
                                   ti
                  ra.

4 comentários:

  1. Isso sim é arte, é dom, inspiração. É o sentir das palavras, o uso. Tudo. Adorei, nunca tinha visto igual. Beijo

    ResponderExcluir
  2. Sim, é arte. São os sentimentos que fez de você artista, se tiver sempre com borboletas no coração, não importa como elas estejam, se elas não estiverem mortas, terá sempre arte em você. Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  3. Que texto lindo e bem construído... adorei!

    Obrigada pelo comentário no meu texto, hihi. Sim, eu amava assistir a programação da TV Cultura também, quando eu era pequenininha, mas a música que eu mais ouvia era aquela da ''hora do banho'' do Castelo Ra-Tim-Bum hahaha! Que saudade çç

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Menina, e esse talento pra poesia metrificada, me conta? AMEI toda a harmonia, ficou lindo! "Ao Janeiro que faz, ao Fevereiro que estraga..." TUDO!

    Arrasou diva! Tem selo pra você no meu blog!

    Beijos :*

    ResponderExcluir